fbpx

Conheça as diferenças entre coisas para bebê e sua importância para o desenvolvimento infantil

6 minutos para ler

As mamães de primeira viagem, com certeza, vão levar o maior susto ao descobrirem o quanto de coisas para bebê é necessário comprar para compor um enxoval. Além de ser uma lista gigantesca, um enxoval completo contém vários itens com nomes que podem soar estranhos para as mamães novatas.

Se você não sabe a diferença entre um cueiro, uma manta e uma naninha, saiba que você está no texto certo! A seguir nós explicaremos para que serve cada um desses itens e qual é a sua importância para o desenvolvimento dos pequenos.

Ficou interessada? Então continue com a leitura!

Quais são as diferenças entre os paninhos para bebês?

Manta, cueiro, fralda, naninha e paninho de boca: todos esses nomes, apesar de serem muito parecidos, se referem a itens totalmente diferentes. Cada um tem uma finalidade específica, por isso, é tão importante que os pais saibam a diferença entre cada um desses “paninhos”.

Manta

A manta nada mais é do que um cobertor no tamanho ideal para bebês. Como o propósito da manta é aquecer, esse produto geralmente é feito com um tecido bem felpudo e macio. Existem no mercado opções de mantas antialérgicas, pois os bebês recém-nascidos podem apresentar alergia a certos tipos de tecido, como a lã.

O ideal é que as mantas sejam mais finas e leves para não sufocar o bebê, no entanto existem, sim, algumas opções de mantas mais pesadas e grossas — que são ideais para os bebês nascidos durante o inverno.

Cueiro

O cueiro é comumente confundido com a manta. É verdade que ambos são muito parecidos, entretanto, o cueiro é mais leve que a manta. Os cueiros geralmente são feitos de flanela ou algodão — e é justamente por isso que eles são mais leves e menos quentes.

A função do cueiro é enrolar o bebê para que ele fique bem apertado e, assim, se sinta mais seguro. As mamães que moram em regiões mais quentes podem substituir o uso da manta pelo cueiro para que os pequenos não sofram com o calor.

Fralda de pano

Esse é o item mais importante e mais versátil de todo o enxoval. Pode parecer exagero, mas a verdade é que esse “paninho” pode fazer milagre na vida das mamães — não é à toa que toda mãe sempre carrega consigo uma fralda na mão. A fralda de pano pode ser usada para limpar a boquinha do bebê, cobrir o seu rostinho enquanto dorme, secar o suor e muito mais.

Naninha

A naninha pode ser qualquer tipo de fralda ou manta que o bebê abraça enquanto dorme para se sentir mais seguro. Ter uma naninha é algo tão comum entre os bebês que as marcas já lançaram produtos próprios para serem usados como naninha.

Qual é a importância da naninha para os bebês?

Como já dissemos, a maioria dos bebês cria uma afeição e um apego por suas naninhas ou paninhos de berço. As naninhas são tão importantes para os pequenos que muitos não conseguem dormir ou mamar sem seus paninhos. As mães mais experientes sabem como é difícil lavar as naninhas, uma vez que os bebês não desgrudam delas nem por um minuto. Mas, afinal, por que os bebês são tão apegados aos seus paninhos?

A naninha, os bichos de pelúcia, a chupeta e até mesmo partes do corpo de outras pessoas (como orelha e mãos) são considerados objetos de transição. O chamado objeto de transição nada mais é do que o “porto-seguro” dos pequenos: é algo com que a criança se liga em busca de proteção. Geralmente, os objetos de transição representam a figura materna.

Após o parto, o bebê demora algum tempo para assimilar que não faz mais parte do corpo de sua mãe e que agora já é um ser independente. Essa percepção gera certa frustação e insegurança, então os pequenos depositam suas necessidades em seus objetos mais próximos — como a naninha. O bebê encontra no objeto de transição a tranquilidade e o aconchego do colo da mãe — é por isso que eles não desgrudam de suas naninhas.

Ter um objeto de transição é algo totalmente natural e saudável. O ideal é que os pais deixem que os filhos cresçam e se desapeguem de seus objetos de transição por conta própria — forçar os pequenos a largarem suas naninhas e bichos de pelúcia pode causar reflexos negativos no comportamento da criança.

Como cuidar dos paninhos?

Precisamos ressaltar que os objetos de transição são escolhidos pelos bebês. Mesmo que os pais tentem, não há como forçar os pequenos a adotarem um item específico como objeto de transição. Alguns bebês podem ter até mais de um objeto de transição.

O ideal é que os paninhos e bichinhos não sejam lavados constantemente, pois eles remetem ao cheiro da mãe — e sem esse cheiro os pequenos podem se sentir desprotegidos ou não reconhecer o objeto. É claro que, uma hora ou outra, o objeto de transição precisa ser lavado. Se o seu filho é apegado a mais de um objeto de transição, então você pode distraí-lo com um deles enquanto o outro está sendo lavado.

Mas o que deve ser feito se você perder o paninho do seu filho? O primeiro passo é não se desesperar. O seu bebê vai chorar bastante nos primeiros momentos mas você deve ser forte e deixar o seu filho se adaptar a essa nova realidade sozinho. Provavelmente ele vai procurar outra coisa para fazer de objeto de transição — e vale ressaltar, mais uma vez, que essa escolha deve ser feita naturalmente, sem a intervenção dos pais.

Agora que você sabe qual é a diferença entre as coisas para bebê e a importância de cada uma delas, você já pode começar a se preparar para montar o enxoval do seu pequeno. Não se esqueça de colocar na lista todos os tipos de paninhos que citamos.

Você está montando o enxoval do seu bebê é está procurando por uma loja de confiança, com produtos de qualidade? Então entre em contato conosco e saiba mais sobre o nosso trabalho!

Você também pode gostar

2 thoughts on “Conheça as diferenças entre coisas para bebê e sua importância para o desenvolvimento infantil

Deixe um comentário